Saiba mais sobre a osteoporose

A osteoporose é uma patologia que se identifica pela redução acelerada de massa óssea. Os ossos desenvolvem-se finos, ocos e com grande sensibilidade, o que os deixam vulneráveis as fraturas.

Geralmente ela surge na fase do envelhecimento e é mais comum entre as mulheres, sendo que três em cada quatro pacientes são mulheres. Atinge principalmente as mulheres após o período da menopausa.

A falta do estrogênio, que é o hormônio feminino, torna os ossos da mulher porosos como esponja e por isso muito frágeis, o que acaba sendo o motivo de quedas e fraturas.

O fato é que esse é um problema sério, mas que pode e deve ser tratado para evitar problemas mais sérios, hoje existe suplementos naturais como o Gnesis que é responsável por ajudar tratar esses problemas, a vantagem desse suplemento é que ele é 100% natural.

Fatores de risco para o desenvolvimento de osteoporose

Dentre os principais fatores de risco, podemos citar os seguintes:

  • Histórico familiar da doença
  • Pele branca
  • Levar uma vida sedentária
  • Baixa produção de Vitamina D
  • Diabetes
  • Baixo consumo de cálcio
  • Bebida em excesso
  • Envelhecimento
  • Tabagismo
  • Uso de medicamentos, como heparina, remédios para tireoide ou anticonvulsivantes
  • Doenças de base, tais como diabetes, artrite reumatoide, linfoma ou leucemia

Os locais onde a doença ocorre com maior frequência são punhos, coluna, e fêmur, sendo que esse último é o mais perigoso.

Atualmente a osteoporose é considerada um problema de saúde mundial, perdendo apenas para problemas cardiovasculares.

Principais sintomas da osteoporose

A primeira coisa que precisa ser dita é que a osteoporose é uma condição silenciosa, não apresentando sintomas,

Por isso, de uma forma geral, o problema só é diagnosticado quando já está em um estágio mais avançado e causou algum tipo de problema que pode ser identificado, tais como dor crônica, deformação óssea e até mesmo fraturas.

Como prevenir a osteoporose

Uma das principais formas de prevenir o surgimento desse problema é a ingestão da quantidade adequada de cálcio, lembrando que esses valores mudam durante a vida.

Isso quer dizer que a necessidade de consumo de cálcio de um adolescente é diferente da necessidade de um idoso, por exemplo.

Para isso, a recomendação média é de 1000 mg por dia, o que é equivalente a 4 porções lácteas. No entanto, alimentos como vegetais de folhas verde-escura ou brócolis também são uma boa fonte desse nutriente.

A vitamina D também tem um papel importante nesse processo, visto que otimiza a absorção do cálcio no organismo. Para isso, basta se expor diariamente a 15 minutos de sol sem uso de protetor e em horário adequado. Veja mais detalhes no vídeo abaixo:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *