Como tratar o cabelo danificado pelo sol

O calor e o sol deixou seu cabelo seco e sem vida?  Não sabe o que fazer para reverter o problema? Então, continue lendo.

Muita gente não sabe, mas o cabelo também pode ficar danificado após ficar longas horas expostos ao sol, sem a devida proteção, apresentando sintomas como opacidade, ressecamento, frizz…

É preciso ter em mente que o sol “queima” os fios, que ficam sensibilizados e podem até começar a se partir facilmente.

Mas sabe qual a boa notícia? É que é possível reverter o estrago causado pelo excesso de sol, bastando seguir algumas dicas para proteger o cabelo de seus efeitos. Confira quais são as dicas.

Invista em um tratamento nutritivo

O excesso de exposição ao sol, dentre outros danos, causa o ressecamento do cabelo, com o calor e a ação dos raios solares afetando as cutículas capilares, que são responsáveis pela retenção de água e nutrientes dentro da fibra.

Para reverter os efeitos nocivos do sol sobre o cabelo,  é fundamental apostar em tratamentos nutritivos e hidratantes para ajudar a resgatar a saúde dos fios e repor a água e os nutrientes perdidos, e o hairpower funciona muito bem para proteger seu cabelo, além de tonifica e fortalecer os fios.

A dica, portanto, é investir em uma máscara Solar, para resgatar a saúde e a beleza do cabelo afetado pelo sol. Por ser voltada para o cuidado dos fios após a exposição solar, a máscara possui uma ação nutritiva e fortalecedora, devolvendo a vida à fibra capilar e reforçando a estrutura dos fios após a exposição solar.

Mas, por outro lado, se os danos causados forem muito severos, nesse caso, a dica é procurar um salão para realizar um tratamento profundo.

Invista em uma linha específica para o verão

Para blindar os fios dos efeitos nocivos do sol, mesmo nos dias em que não for utilizar uma máscara de reparação, a dica é investir em um shampoo e um condicionador específicos para o cuidado dos cabelos afetados pelo sol, pois vão promover a revitalização e evitar que a fibra continue a ser danificada pelo sol.

Os shampoos específicos para tratar cabelos danificados oferecem uma limpeza suave e eficaz, enquanto trata a fibra afetada pela exposição solar.

Realize um tratamento reconstrutor

O cabelo danificado pelo sol, não só fica ressecado, como pode ter sua estrutura afetada pelo excesso de exposição solar, se tornando porosos, quebradiços e fragilizados, nesse caso, portanto, não basta investir apenas em um tratamento nutritivo.

A dica, nesse caso, será combinar o tratamento nutritivo com a reconstrução capilar, devolvendo ao cabelo a capacidade de absorver a água e nutrientes,  ajudando a recuperar a estrutura dos fios e cutículas.

Felizmente, no mercado é possível encontrar excelentes máscaras para esse fim, as quais irão reforçar a estrutura do cabelo danificado pelo sol, promovendo um tratamento profundo aos fios fragilizados, reduzindo a quebra e reestruturando a fibra capilar.

A dica é procurar alternar a máscara com o tratamento nutritivo, para recuperar mais rápido e completamente os fios.

Blinde os fios com leave-in

Por fim, mas não menos importante, é preciso combinar o tratamento dos fios com uma proteção eficaz, e isso pode ser feito com um bom leave-in hidratante com filtro solar e UV.

Vale saber que mesmo utilizando máscaras especiais para cuidar dos fios danificados, os raios solares continuarão a agir sobre os fios, e podem afetar o tratamento, dificultando a recuperação da fibra capilar.

Por isso, é fundamental blindar os fios diariamente com um leave-in específico para isso, ou seja, que ofereça proteção contra a ação solar e a radiação ultravioleta.

Acredite, esse leave-in irá fazer toda a diferença na hora de recuperar a saúde dos fios após os danos causados pelo calor e os raios ultravioletas, evitando o agravamento do quadro.

O que é alopecia cicatricial e como tratar

A camada mais superficial do nosso couro cabeludo é repleta de estruturas que se chamam folículos pilosebáceos. São essas as estruturas que são responsáveis pela produção do fio de cabelo e também pela secreção das substâncias oleosas.

Para isso, utilizam subestruturas, que são os folículos pilosos, o músculo eretor do pelo, as glândulas sebáceas e as terminações nervosas.

Quando há um processo total ou parcial de destruição do folículo pilosebáceo, o couro cabeludo pode acabar estagnando a produção dos fios de forma permanente, dando origem a cicatrizes nas áreas que foram afetadas.

Esse quadro clínico é conhecido na medicina como alopecia cicatricial e pode ser de dois tipos: a primária e a secundária.

a evolução também ocorre de forma distinta de um pacientes para outro, variando e acordo com as causas que levaram a destruição dos folículos pilosebáceos.

O que pode desencadear a alopecia cicatricial

No caso da alopecia cicatricial primária, a causa pode ser algum processo congênito, inflamatório e/ou autoimune e/ou infeccioso. Nesses casos, o próprio sistema de defesa do organismo ataca os folículos e provoca uma reação destrutiva.

No entanto, o fato é que uma grande variedade de doenças pode estar envolvida nesse processo. Sendo assim, a medicina classificou como causas da alopecia cicatricial primária os seguintes casos:

  • Lúpus eritematoso discoide
  • Líquen plano pilar
  • Alopecia frontal fibrosante
  • Pseudopelada de Brocq
  • Alopecia centra centrífuga
  • Foliculite declavante
  • Foliculite em tufos
  • Celulite dissecante do couro cabeludo
  • Foliculite queloidiana
  • Dermatose pustular erosiva

Já no que diz respeito a alopecia cicatricial secundária, as causas estão relacionadas com processos que atacam os folículos de uma forma indireta, tais como:

  • Ação de produtos químicos
  • Queimaduras
  • Tração repetida do couro cabeludo
  • Exposição à radiação
  • Traumas
  • Infecções virais
  • Infecções bacterianas
  • Infecções fúngicas
  • Tumores
  • Micoses
  • Genodermatoses (doença genética dermatológica rara)

Principais sintomas da alopecia cicatricial

Como foi dito, cada paciente apresenta uma evolução própria do quadro, de acordo também com as causas.

Enquanto algumas pessoas apresentam unicamente a queda de cabelo isolada, outros passam por sintomas desagradáveis, como sensação de ardor, vermelhidão, coceira e outros.

Tratamentos para alopecia cicatricial

Quanto o problema é diagnosticado de forma precoce, antes da total destruição dos folículos pilosebáceos, ela pode ser tratada com o uso de antibióticos, anti-inflamatórios ou corticosteroides, evitando que avance para um estágio mais acentuado, então por isso é interessante prevenir a calvície fazendo o uso do hairloss blocker que é um suplemento natural que previne a queda de cabelo.

Já em diagnósticos mais tardios, é preciso usar medicamentos para frear a ação do problema, mas não existe forma de reverter o quadro.